Direitos Autorais

Todas as receitas e fotografias de todas e quaisquer criações incluídas neste blog/site estão sobre a proteção da LEI DO DIREITO AUTORAL Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Portanto, é proibida qualquer reprodução ou divulgação das mesmas com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive na WEB, sem prévia consulta e aprovação. Não copie! Entre em contato: autismoemfoco@gmail.com myfreecopyright.com registered & protected

Meu livro: Autismo Esperança Pela Nutrição

Meu livro: Autismo Esperança Pela Nutrição
Vendas: autismoemfoco@gmail.com

sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Receitas, ingredientes e substitutos

Olá amigos, acho que devo falar um pouco sobre o livro de receitas que estou fazendo e também sobre este blog e esclarecer algumas questões desde já.


Os pais mais antigos do autismo esperança conhecem um pouco da minha história, mas como tem muita gente nova nos grupos e muitos acessos ao blog, a maioria eu acho que não conhece.

Eu exerci a profissão de banqueteira, doceira e boleira por cerca de 15 anos. Parei com tudo por opção, para poder implementar e seguir a dieta com Mauricio. A partir de então, me vi diante de muitas dificuldades tanto para comprar produtos prontos (horríveis na maioria), quanto para produzir as receitas que na sua maioria, são horríveis também e totalmente amadoras.

Foi então que começei a pesquisar bastante e colocar toda a minha prática com a cozinha a favor de nós pais.

Não estou de brincadeira, é um trabalho muito sério e cansativo. Ninguém dá nada de mão beijada. Nem mesmo nos cursos que fazia antes-dieta os professores forneciam o pulo do gato. Tudo que aprendi tanto na minha época de profissional quanto agora na época de restrições alimentares foi como auto-didata, fazendo coisas incomíveis e correndo muito atrás de respostas. É um trabalho duro que está sendo cuidadosamente preparado para que vocês recebam tudo mastigado.

Para selecionar as receitas estou levando em conta tanto no livro quanto no blog o que é consenso entre vários profissionais que tratam de crianças autistas.

E qual é esse consenso?


- Dieta livre de glúten, caseína e os aditivos: corante, glutamato e aspartame.


A partir daí, tudo é variante, tanto de profissional quanto da reação de cada criança.


Glutamato: A Dra. Yasko e alguns outros médicos que tratam de doenças com inflamação neurológica falam que não só o aditivo, mas os alimentos ricos naturalmente em glutamato devem ser eliminados. Aí entram entre outras coisas, a goma xantana, a gelatina e o agar agar. Se fosse seguir as instruções dela, por aí todos os pães, bolos e vários outros alimentos estariam eliminados.

Açúcar: uns liberam o açúcar de cana em poucas quantidades. Outros só liberam o mel. Outros pedem para retirar até mesmo todos os grãos e amidos. Outros liberam a frutose e glicose. Outros só liberam xylitol e stévia. Outros liberam adoçantes como sucralose, sacarina e ciclamato.
As explicações variam desde que a criança reage igual aos açúcares naturais alternativos tanto quanto ao açúcar comum.
Outra hora que o mel é uma forte fonte de botulismo.
Outra hora que os adoçantes são tão prejudiciais ou mais que o próprio açúcar.

Nisto também há de se contar com a reação das próprias crianças.

Tem crianças que tem sido comprovado através de exames, erro metabólico para um tipo de açúcar tendo que riscar uma série de alimentos.
Tem muitas que com quantidade equilibrada e moderada, não alteram o comportamento.
Tem outras com reações violentas a estévia (por causa da maltodextrina) e ao xylitol, desde diarréia, a fermentação total do intestino, até a surto psicótico. A Dra. Geórgia, médica de meu filho, tem um paciente que surtou com xylitol. Soube de um menino que está 90% melhor com ciclamato e sacarina. Xylitol é um álcool, assim como a sucralose.

A solução é simples: substitua a quantidade de açúcar das receitas pelo substituto a que está acostumado, ou então não faça!
Em pães onde a necessidade de açúcar é extrema para o fermento levedar, uma amiga me indicou a utilização de FOS para cumprir esta função.


Soja: muitas crianças que começaram a dieta a cerca de 8 anos atrás, consumiam soja. Muitos apesar de explicações atuais de oxalatos e macromoléculas estão bem. Outras desenvolveram alergia a soja. Outras só começaram a apresentar melhoras depois também da retirada da soja.

A solução é simples: na maioria das receitas não tem soja ou não há necessidade do uso da soja.
Quando falamos em leite vegetal, pode ser usado o de arroz, de coco, de castanhas.
A soja só é imprescindível nas receitas que levam tofu ou lecitina de soja. Se este for o caso, simplesmente não faça!!!



Farinhas: uns dizem que não pode farinha nenhuma. Outros dizem que se for farinha integral, farinha que não é metabolizada como amido como: farinha de amêndoas, de nozes, de castanhas, de grão-de-bico, de milho branco, de painço... pode.

Orgânicos: lógico que orgânicos só fazem bem, mas nesse mundão de Brasil com tantas carências e defasagens de cultura, de dinheiro e de oferta, não é extencivo a todos, muito menos 100%.


Alergênicos: Fora tudo o que já foi falado, ainda tem crianças com alergias a fenóis, milho, tomate, ovos, fermento, castanhas....
Quando usamos amido de milho, este pode ser substituído por farinha de araruta.
Farinha de milho branco geralmente não provoca alergia como a farinha de milho amarelo.

Ovos em muitas receitas podem ser substituídos por uma mistura de água e linhaça ou lecitina de soja.
Se é alérgico a linhaça e faz restrição de soja a resposta é simples: simplesmente não faça a receita!!!



Se fosse levar em conta todas as variantes acima, iria fazer um livro de páginas em branco e não existiria o blog, pois é impossível achar receitas com todas essas limitações ao mesmo tempo. Nem mesmo na alimentação viva. Acredito que o mais difícil estou fazendo: produzir receitas legais e que realmente funcionam!


Além disso ainda temos que contar com a falta de tempo para a cozinha, a falta de jeito e vontade de cozinhar, os gostos pessoais de cada um que preferem certo tipo de alimento a outro, o ritmo de vida atual, os costumes alimentares modernos, as limitações sensoriais das nossas crianças, as preferências comerciais delas, o ritmo alimentar com que foram acostumadas até agora.... ufaaaaaaaaaa
E isto tanto faz para autistas, celíacos e alérgicos.



Então meus queridos, o que eu quero com esse livro e este blog é facilitar!

Abrir portas, mostrar alternativas prazerosas e não tanto penosas, mostrar que há um caminho bastante válido e não tão cheio de privações e dificuldades como tantos imaginam.

Não sei se vocês estão acostumados a livros de receitas. Mas um livro de receitas, NUNCA é aproveitado 100% justamente por tudo o que já expliquei.

A minha intenção é que qualquer que seja o estágio da sua vida ou conhecimento, qualquer que seja as limitações de sua criança, qualquer que seja a orientação médica que você receba, que ao abrir e folhear o livro ou passear pelo blog, você possa ter uma ou algumas receitas para aplacar a sua aflição e angústia com o que irá alimentar seu filho.

E é a isso que estou me dedicando para que vocês encontrem.



Abçs

Claudia Marcelino.
Related Posts with Thumbnails